• 19 dez

    Tami entrevista Andrea Omeire

    Oi gente!!!

    Tô bastante feliz hoje, porque tenho a honra de publicar a última entrevista do ano aqui.

    E ela veio pra fechar com chave de ouro uma temporada de entrevistas maravilhosas com pessoas que admiro e que me ensinaram muito… Eu amo gente inteligente, gente empreendedora nata, gente que batalha, e que chega lá…

    Ela é tudo isso e muito mais. Simpática, linda, mãe, esposa, filha e sócia da maior maison de luxo de Curitiba (900 m2, tá bom pra vocês?), ela chega chegando por aqui e nos faz repensar nosso ano para entrarmos muito mais animados em 2015…

    Com vocês, a empresária Andrea Omeire:

    andrea

    TL – Como começou sua paixão pela moda? Me conte um pouco de como foi sua trajetória até a loja se tornar a potência que é.

    AO – Tudo começou em uma dessas viagens de meninas!! Minha mãe, eu e minha irmã fomos para o Rio de Janeiro.
    Duas adolescentes, eu com 14 anos e a Marcia 16, queríamos comprar muitos biquínis e descobrimos que comprando 12 ficava pela metade do preço!!!
    Assim começamos um “negócio”, compramos biquínis, camisetas, vestidos, etc.. Chamamos nossas amigas e “BOOM”, foi um sucesso!!!

    Nunca planejamos isso, mas a paixão pela moda foi imediata e ela crescia com o sucesso das vendas e com a satisfação das clientes.

    Transformamos a parte debaixo da casa da nossa mãe, que antes era uma sala de estar e música para receber nossos amigos, em uma loja.
    Comprávamos com o CNPJ do posto de gasolina do nosso pai. E ficamos conhecidas como as meninas do posto!!! 🙂

    Foram muitas viagens para o Rio, as clientes esperavam ansiosas pela nossa chegada. Nosso pai foi a loucura, a fila de carros na porta de casa, os telefonemas sábados e domingos, sempre tinha alguém querendo alguma coisa nas horas mais malucas…
    Acabou o sossego, tomamos conta da parte de baixo da casa!!! (risos)

    Anos se passaram até que eu ia casar quando meu futuro marido (de descendência árabe) disse que tínhamos que abrir uma loja. E foi em uma pequena loja em um shopping, ao ar livre, que abrimos a nossa primeira.
    Depois de muitos anos e já com duas lojas abertas resolvemos junto com uma outra sócia (a Solange que tinha a franquia da Maria Bonita) abrir a primeira Maison de luxo de Curitiba.
    Foi uma gritaria: “VOCÊS SÃO MALUCAS!!! NÃO FAÇAM ISSO!!! CURITIBA NÃO TEM PÚBLICO PRA ISSO!!!”

    …E já se passaram 16 anos desde a abertura da Bazaar Fashion.

    TL – Existe uma diferença da mulher que era sua cliente quando começou para a mulher atual?

    AO – A nossa cliente de antes era muito carente de tudo, de informação, de produtos e lojas. A cliente de agora é muito mais informada, muito mais aberta a novas tendências, e tem um leque imenso de opções de lojas!

    TL  – Como vocês escolhem uma marca para entrar na loja? Quais os critérios mais usados?

    AO – Para uma marca nova entrar no mix da Bazaar ela precisa trazer algo novo, alguma coisa que a gente olhe e diga: isso está faltando na nossa loja, isso eu quero para mim!!

    TL – Você acabou virando uma formadora de opinião na sua cidade, tô enganada? Como lida com isso? Tem muita gente querendo ser o que você é, vestir o que você veste?

    AO – Somos 3 sócias de idades diferentes e de gostos diferentes, sempre tem alguém que se identifica mais com o estilo de uma de nós. Ser formadora de opinião as vezes é uma carga muito grande, pois sempre tem a expectativa de como vamos estar vestidas, não da para usar roupa da coleção passada, por exemplo!!! (risos) Sempre tem alguém querendo a roupa que estamos usando.

    TL – Como você vê os avanços tecnológicos em relação ao negócio? Acredita que as mídias sociais melhoraram o mercado comercial? 

    AO – Acho que as mídias sociais ajudam muito na hora da venda, mas as vezes atrapalham também!!!
    Quando começa o SPFW, por exemplo, as clientes já começam pedir o que acabou de desfilar e essas peças só vão chegar na loja dali a 4, 5 meses, fora as cópias que acabam chegando nos atacadistas antes do próprio criador nos entregar!!

    TL  – Tem muita gente que começou na mesma época que vocês e que não se tornou o que vocês se tornaram. Você consegue apontar quais os diferenciais que as levaram para o topo?

    AO – Muitas pessoas acham que abrir loja é fácil, que é só ter dinheiro!! O diferencial da Bazaar é que estamos sempre muito presentes na loja. As clientes são também nossas amigas, frequentamos os mesmos lugares, viajamos juntas e na Bazaar elas se sentem cuidadas e em casa.

    TL  – Onde mais a Bazaar Fashion pretende chegar? Já pensaram em criar uma marca própria? Abrir filiais em outras cidades ou coisa do tipo?

    AO – A Bazaar não pensa em expansão, acreditamos no sucesso deste formato.
    Uma loja agradável em que as clientes se sintam em casa com um ambiente mais exclusivo!

    Atualmente temos dentro da loja quatro joalherias e um café. Temos masculino, feminino, casual, moda praia, festa, enfim…

    Queremos melhorar sempre no mix de produtos e no atendimento.

    TL – Com esse sucesso todo, como faz pra conciliar trabalho, família, lazer… O que faz pra relaxar?

    AO – Eu comecei a trabalhar e a ganhar meu próprio dinheiro muito cedo. Meu marido já me conheceu trabalhando e viajando, criei meus 3 filhos assim. Mas não abro mão de almoçar com minha família sempre que estou em Curitiba, este é o momento em que ficamos todos juntos. Acho até que foi a minha independência e minha vontade de crescer profissionalmente, inclusive, que mais encantaram o meu marido.

    Para relaxar faço yoga todos os dias.

    TL  – Falando um pouco no geral, o que esse verão promete? Tem uma cor específica, uma modelagem, uma peça… O que vai ser o “tem-que-ter?

    AO – Eu estou amando o comprimento midi!! Me sinto feminina e super atual!

    TL  – E você que faz muita pesquisa fora, já consegue apontar o hit do inverno? Tem alguma coisa nova chegando por aqui?

    AO – Nossa loja sempre foi focada na moda nacional! Nossa pesquisa fora é mais para nos informarmos do que está acontecendo para podermos nos direcionar nas compras da loja.
    Apostamos como hits para o inverno nas capas, que substituem o casaco nos dias mais frios, nas franjas e nos plissados. Eu, particularmente, adoro a influencia dos anos 60!

    TL  – Andrea, pra você, o que é chique e o que é over? Tem uma dica pra estar sempre elegante?

    AO – Acho chique visuais mais limpos, para mim menos é mais!
    Acho over muita informação, aquela mulher toda grifada, que coloca tudo que tem em um look só!

    TL – E para terminar, o que diria para as jovens empreendedoras que sonham um dia com uma loja de sucesso como a sua? Tem algum segredo?

    AO – Acho que não importa o tamanho, no mundo dos negócios é como no mundo animal, o leão acorda com fome querendo caçar a gazela, e a gazela acorda sabendo que tem que fugir do leão.
    Não importa se no seu negócio você vai ser o leão ou a gazela, seja sempre O melhor!!!

    bazaar1

    bazaarfashion4

    bazaar2

    bazaar4

    E alguém aí discorda que ela é um leão dos fortes e , sem dúvida, A melhor?

    A loja é inteira maravilhosa, bem decorada, acolhedora e inspiradora…

    Quem quiser ver mais clique AQUI e aproveite para fazer um tour online na maison.

    Babem nos ambientes, nas marcas, e no atendimento exclusivo e personalizado para as clientes. Tem até um serviço de buscá-las onde estiverem para irem a loja, fora a possibilidade de receberem em casa roupas, sapatos e acessórios do seu tamanho, gosto e estilo para experimentarem com as peças que já possuem. Não é demais?

    Viva o diferencial e o empreendedorismo! Adorei conhecer um pouco mais dessa história de sucesso e tenho certeza que vocês aí do outro lado também amaram e já estão cheias de ideias para 2015.

    Sigam seu coração e busquem sempre serem melhores naquilo que escolherem!

    🙂

    Beijos

     

     

     

    Leia também!

    Compartilhe

    0
    Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Protected by WP Anti Spam